Início > Editorial > PRENDAS DE NATAL!

PRENDAS DE NATAL!

Natal lembra comemorações tradicionais; lembra o Menino Jesus e o seu presépio; lembra a Ceia de Natal e a sua Árvore; lembra as prendas de Natal e a troca de prendas; lembra as músicas de Natal e as iluminações natalícias; lembra o cabaz de Natal e as famílias pobres; lembra a fome e a solidariedade…

A árvore de Natal, que normalmente é o pinheiro, a sua forma triangular evoca a Santíssima Trindade que é Comunhão.

As prendas de Natal que trocamos nascem do grande dom com que Deus nos favoreceu. Por isso é Ele “a primeira Prenda”. Como nos diz a Escritura sagrada: «um Menino nasceu e um Filho nos foi dado».

Deus faz-se presente. Encarnou a nossa humanidade. Porque Deus muito nos ama e nos amou primeiro, Ele é o Emanuel – Deus connosco, que nos perdoa e nos ama até ao sacrifício da cruz. Por isso as “Prendas – são presentes de amor, da amizade, de gratidão” . Assim nos ensina a amar como Ele amou. Ele deu-nos o céu e a terra: as estrelas, as árvores e os animais, os peixes do mar e as aves… Deus deu-nos sobretudo o Seu Filho para que quantos acreditarem possuam a Vida eterna. Sintamo-nos contentes, felizes e confiantes.

Os cristãos com aqueles sinais olham para o Presépio e contemplam o Menino Jesus e descobrem o AMOR de Deus que vem salvar a humanidade e guiá-la por novos caminhos.

Centrado em Jesus, o Natal há de ter em nossas casas a sua representação própria: o presépio.

Contemplando-O, encontramos n’Ele sentido da dádiva e entrega gratuita ao outro, encontramos sentido para voluntariado na luta contra a fome e a pobreza; pois a Fé atua pela caridade.

Natal é Deus que vem à procura do homem perdido. Por isso, escuta este apelo: “Deixa Deus entrar na tua própria casa”, para que não aconteça outra vez, como em Belém, não haver lugar para Jesus nascer.

Natal é Deus que se aproxima e vem para transformar os corações e o olhar, para que cada um aprenda a ver no outro, não um concorrente que deve combater, mas um irmão que deve amar, com quem deve partilhar com gestos de solidariedade. O espírito de Natal é fraternidade, paz e alegria partilhadas.

Hoje, como ontem, o Natal não é só um acontecimento passado, mas presente e futuro. É exaltada a grandeza do Verbo de Deus que se fez Homem, mas ao mesmo tempo admira-se a humanidade e a humildade do Senhor que veio viver cada momento da nossa vida, desde o nascimento à morte, desde a alegria ao sofrimento, santificando todos os acontecimentos da vida humana.

Este tempo de Advento é, pois, tempo de deserto, mas é também tempo de expectativa, de partilha, de esperança, de renovação e é tempo de alegria. “A minha alma glorifica o Senhor e o meu espírito se alegra em Deus meu Salvador!” Alegrai-vos sempre no Senhor! Feliz Natal!

P. Batalha

  1. Ainda sem comentários.
  1. No trackbacks yet.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s