Archive

Archive for Julho, 2013

AO VIVO – JORNADAS MUNDIAIS DA JUVENTUDE 2013

Julho 28, 2013 Deixe um comentário

Cobertura completa e ao VIVO da Jornada Mundial da Juventude com a presença do Papa Francisco

http://g1.globo.com/jornada-mundial-da-juventude/2013/cobertura/

MARCADOR DA PALAVRA – 17.ª semana do Tempo Comum C

Julho 27, 2013 Deixe um comentário

Terminam as Jornadas Mundiais da Juventude. Um mar de gente nova encheu o Rio de Janeiro, afirmando a sua fé em Jesus e o seu desejo de O dar a conhecer.

É preciso coragem para assumir este compromisso. Talvez também sintas que é preciso ser corajoso para rezar, para viver segundo a Palavra do Evangelho e fazê-lo na Igreja e com a Igreja. Pede ao Espírito Santo o dom da coragem para ser testemunha de Cristo e, com este pedido, começa a tua semana de oração.

Marcador da Palavra para a Semana XVII TC

Deus dá muito mais do que podemos receber

Julho 27, 2013 Deixe um comentário
O tema fundamental que a liturgia nos convida a refletir, neste domingo, é o tema da oração. Ao colocar diante dos nossos olhos os exemplos de Abraão e de Jesus, a Palavra de Deus mostra-nos a importância da oração e ensina-nos a atitude que os crentes devem assumir no seu diálogo com Deus.
A primeira leitura sugere que a verdadeira oração é um diálogo “face a face”, no qual o homem – com humildade, reverência, respeito, mas também com ousadia e confiança – apresenta a Deus as suas inquietações, as suas dúvidas, os seus anseios e tenta perceber os projectos de Deus para o mundo e para os homens.
O Evangelho senta-nos no banco da “escola de oração” de Jesus. Ensina que a oração do crente deve ser um diálogo confiante de uma criança com o seu “papá”. Com Jesus, o crente é convidado a descobrir em Deus “o Pai” e a dialogar frequentemente com Ele acerca desse mundo novo que o Pai/Deus quer oferecer aos homens.
A segunda leitura, sem aludir diretamente ao tema da oração, convida a fazer de Cristo a referência fundamental (neste contexto de reflexão sobre a oração, podemos dizer que Cristo tem de ser a referência e o modelo do crente que reza: quer na frequência com que se dirige ao Pai, quer na forma como dialoga com o Pai).

O PAPA DESCE AO RIO – Jornadas Mundias da Juventude

Julho 20, 2013 Deixe um comentário

Amanhã o Papa Francisco sai do Vaticano e desce ao Rio de Janeiro para ir ao Encontro da Juventude do mundo e que começa com uma Peregrinação pessoal, na 4ª feira, ao Santuário mariano da Senhora Aparecida, para confiar à Virgem os jovens, toda a Igreja e o seu próprio Pontificado. Depois irá visitar o Hospital de São Francisco, animado por Franciscanos no tratamento de jovens toxicodependentes e alcoólicos. Na 5ª feira visitará uma “favela” do Rio, a Comunidade de Varginha, onde contactará com a população. Neste dia à noite vai encontrar-se com a juventude mundial. Será a festa do acolhimento dos jovens, na ampla avenida de Copacabana. No mesmo jeep aberto que usa na praça de São Pedro para saudar a multidão, o Papa percorrerá os 4 Km da marginal, até ao altar situado no extremo norte. O mesmo percurso será utilizado na sexta-feira à noite para a Via Sacra. Na sexta-feira de manhã, no parque da cidade – Quinta da Boa Vista – haverá um tempo reservado ao Sacramento da Reconciliação; e o Papa também confessará alguns jovens. Ao fim da manhã, a pedido do Papa Francisco, terá um encontro pessoal reservado, no Paço Episcopal, com cinco jovens presos (ali acompanhados por agentes prisionais). No sábado de manhã terá um Encontro no Teatro Municipal do Rio de Janeiro com a classe dirigente do país: as autoridades políticas, civis, militares, o Corpo Diplomático, empresários, sindicalistas, gente do mundo da cultura, representantes das diferentes religiões e das diversas confissões cristãs. No sábado à noite, (23.30 h em Portugal) será a Vigília e a Celebração: como sempre são os momentos culminantes da JMJ. Será na esplanada “Campus Fidei”, em Guaratiba, a 50 km do Rio. Aí será a Missa de Domingo (às 14 h em Portugal). É o mesmo local onde os jovens passarão a noite. Esperam cerca de 2 milhões de participantes.

Para os jovens participantes será uma profunda experiência de Igreja. A participação portuguesa é constituída por cerca de 600 jovens e 9 Bispos, entre os quais os dois Bispos auxiliares de Lisboa: D. Nuno Brás e D. Joaquim Mendes.

Para os jovens que não vão ao Brasil, podem saborear a alegria da comunhão com as Jornadas da Juventude, participando, nos próximos dias 27 e 28, nas alternativas seguintes: “Rio in Douro”, no Porto; o “Mergulho in Rio”, em Viseu; “Do Cristo Rei ao Cristo Redentor”, em Setúbal; e o “Made in Rio”, na Madeira.

O tema geral das Jornadas é “Ide e fazei discípulos entre todas as nações”. Cada dia terá uma proposta diferente relacionada com aquele tema e o encontro de cada dia terá “Testemunhos . Catequese . partilha com perguntas e respostas e uma homilia na Eucaristia” que encerra o encontro do dia. As Jornadas para estes jovens serão uma Peregrinação para os levar a viver um encontro pessoal com Cristo.

Esta experiência é um forte convite a um chamamento a que os jovens sejam os primeiros missionários no meio dos jovens da sua idade. É que só quem se aproxima de Jesus Cristo e experimenta o Seu Amor, quer partilhar a beleza do encontro com Cristo e a alegria que nasce dessa amizade. Também nós estejamos em comunhão com estas Jornadas Mundiais da Juventude, pelo menos pela Oração. Deus os abençoe e eles acolham de todo o coração essa Bênção.

Marcador da Palavra – 16.ª semana TC

Julho 20, 2013 Deixe um comentário

Deixa as leituras desta semana escorrerem por ti como água límpida libertando-te da poeira dos caminhos.

Deixa as palavras dizer o teu desejo de encontro com Deus.

Deixa as leituras e as palavras transformarem esta semana num tempo abençoado pela presença do Senhor Ressuscitado.

Uma boa e santa semana de oração.

Marcador da Palavra para a Semana- XVI do Tempo Comum

Acolhemos Jesus, o “irmão” sem casa?

Julho 20, 2013 Deixe um comentário

As leituras deste domingo convidam-nos a reflectir o tema da hospitalidade e do acolhimento. Sugerem, sobretudo, que a existência cristã é o acolhimento de Deus e das suas propostas; e que a acção (ainda que em favor dos irmãos) tem de partir de um verdadeiro encontro com Jesus e da escuta da Palavra de Jesus. É isso que permite encontrar o sentido da nossa acção e da nossa missão.

A primeira leitura propõe-nos a figura patriarcal de Abraão. Nessa figura apresenta-se o modelo do homem que está atento a quem passa, que partilha tudo o que tem com o irmão que se atravessa no seu caminho e que encontra no hóspede que entra na sua tenda a figura do próprio Deus. Sugere-se, em consequência, que Deus não pode deixar de recompensar quem assim procede.

No Evangelho, apresenta-se um outro quadro de hospitalidade e de acolhimento de Deus. Mas sugere-se que, para o cristão, acolher Deus na sua casa não é tanto embarcar num activismo desenfreado, mas sentar-se aos pés de Jesus, escutar as propostas que, n’Ele, o Pai nos faz e acolher a sua Palavra.

A segunda leitura apresenta-nos a figura de um apóstolo (Paulo), para quem Cristo, as suas palavras e as suas propostas são a referência fundamental, o universo à volta do qual se constrói toda a vida. Para Paulo, o que é necessário é “acolher Cristo” e construir toda a vida à volta dos seus valores. É isso que é preponderante na experiência cristã.

MARCADADOR DA PALAVRA – 15.ª SEMANA DO TEMPO COMUM

Julho 13, 2013 Deixe um comentário

20130714Abre o teu coração à santidade de Deus, ao seu Amor.

A santidade é aquilo que estás chamado a ser em cada dia da tua vida. Não há outro caminho para realizares plenamente a tua humanidade.

Deixa-te ficar nas mãos de Deus, três vezes Santo, do Deus Trindade, teu abrigo, teu refúgio, tua fortaleza. Deixa-te seduzir por Aquele Jesus que diz: «Sede santos como o Senhor, vosso Deus, é Santo».

Com este desejo a dar sentido à tua vida, começa a tua semana de oração.

Marcador da 15.ª Semana do Tempo Comum, ano C

O mundo necessita de nós, e necessita que nos detenhamos. Passar ao largo é um crime.

Julho 13, 2013 Deixe um comentário

A liturgia deste domingo procura definir o caminho para encontrar a vida eterna. É no amor a Deus e aos outros – dizem os textos que nos são propostos – que encontramos a vida em plenitude.

O Evangelho sugere que essa vida plena não está no cumprimento de determinados ritos, mas no amor (a Deus e aos irmãos). Como exemplo, apresenta-se a figura de um samaritano – um herege, um infiel, segundo os padrões judaicos, mas que é capaz de deixar tudo para estender a mão a um irmão caído na berma da estrada. “Vai e faz o mesmo” – diz Jesus a cada um dos que o querem seguir no caminho da vida plena.

A primeira leitura reflete, sobretudo, sobre a questão do amor a Deus. Convida os crentes a fazer de Deus o centro da sua vida e a amá-lo de todo o coração. Como? Escutando a sua voz no íntimo do coração e percorrendo o caminho dos seus mandamentos.

Na segunda leitura, Paulo apresenta-nos um hino que propõe Cristo como a referência fundamental, como o centro à volta do qual se constrói a história e a vida de cada crente. O texto foge, um tanto, à temática geral das outras duas leituras; no entanto, a catequese sobre a centralidade de Cristo leva-nos a pensar na importância do que Ele nos diz no Evangelho de hoje. Se Cristo é o centro a partir do qual tudo se constrói, convém escutá-l’O atentamente e fazer do amor a Deus e aos outros uma exigência fundamental da nossa caminhada.