Arquivo

Archive for Setembro, 2012

Marcador da Palavra para a 26.ª semana do Tempo Comum

Setembro 29, 2012 Deixe um comentário

A oração é própria dos “pequeninos”, de quem vai conhecendo e assumindo as suas limitações e os enganos em que, tantas vezes, se deixa enredar.

A oração quase nunca é fácil porque ser “pequenino”, assumir as limitações e fraquezas não faz parte do nosso modo habitual de ser.

Deixa-te tocar pela humildade de Deus que vem ao teu encontro nos pequenos e nos simples. E com o desejo de seres pequeno e simples começa a tua semana de oração.

Marcador da Palavra para a 26.ª semana do Tempo Comum

OS PRECEITOS DO SENHOR ALEGRAM O CORAÇÃO – 26.º Domingo do Tempo Comum

Setembro 29, 2012 Deixe um comentário

Longe de sentir despeito pelo dom do Espírito concedido a dois homens que não tinham correspondido à sua convocação, Moisés só desejava que todos tivessem o mesmo privilégio.

A nós, acostumados que estamos a raciocinar em termos de “nós”, Igreja, e de “eles”, os outros – os que não fazem parte da Igreja –, faz bem ouvir de Jesus a confirmação à intuição de Moisés: “Quem não é contra nós é por nós”, diz o Senhor. Desta forma, evitam-se atitudes defensivas perante muitos que, mesmo não acreditando, até partilham alguns dos nossos valores.

Neste Domingo, continuamos também a ser instruídos por S. Tiago. Diz-nos o apóstolo que as riquezas mal adquiridas ou mal utilizadas, bem como o justo salário recusado a quem trabalha, são os grandes acusadores dos ricos no tribunal divino.

É O AMOR QUE NOS FAZ IGREJA

Setembro 29, 2012 1 comentário

A liturgia do 26.º Domingo do Tempo Comum apresenta várias sugestões para que os crentes possam purificar a sua opção e integrar, de forma plena e total, a comunidade do Reino. Uma das sugestões mais importantes (que a primeira leitura apresenta e que o Evangelho recupera) é a de que os crentes não pretendam ter o exclusivo do bem e da verdade, mas sejam capazes de reconhecer e aceitar a presença e a acção do Espírito de Deus através de tantas pessoas boas que não pertencem à instituição Igreja, mas que são sinais vivos do amor de Deus no meio do mundo.

A primeira leitura, recorrendo a um episódio da marcha do Povo de Deus pelo deserto, ensina que o Espírito de Deus sopra onde quer e sobre quem quer, sem estar limitado por regras, por interesses pessoais ou por privilégios de grupo. O verdadeiro crente é aquele que, como Moisés, reconhece a presença de Deus nos gestos proféticos que vê acontecer à sua volta.

No Evangelho temos uma instrução, através da qual Jesus procura ajudar os discípulos a situarem-se na órbita do Reino. Nesse sentido, convida-os a constituírem uma comunidade que, sem arrogância, sem ciúmes, sem presunção de posse exclusiva do bem e da verdade, procura acolher, apoiar e estimular todos aqueles que actuam em favor da libertação dos irmãos; convida-os também a não excluírem da dinâmica comunitária os pequenos e os pobres; convida-os ainda a arrancarem da própria vida todos os sentimentos e atitudes que são incompatíveis com a opção pelo Reino.

A segunda leitura convida os crentes a não colocarem a sua confiança e a sua esperança nos bens materiais, pois eles são valores perecíveis e que não asseguram a vida plena para o homem. Mais: as injustiças cometidas por quem faz da acumulação dos bens materiais a finalidade da sua existência afastá-lo-ão da comunidade dos eleitos de Deus.

Marcador da Palavra para a 25.ª semana do Tempo Comum

Setembro 22, 2012 Deixe um comentário

“Dos que se fazem crianças é o Reino de Deus”

Procura um espaço de tranquilidade onde possas cultivar a paz interior.

Reconhecendo as tuas fraquezas e pecados, deixa-te ficar humildemente diante de Deus Pai que te ama e acolhe, agradece ao Senhor o dom de seu Filho, Jesus Cristo, que te redime e salva, e deixa-te envolver no abraço do Espírito Santo que te ensina os caminhos de seguimento de Jesus.

Tranquilo e repousando no colo de Deus, dá início à tua semana de oração.

Marcador da Palavra para a 25.ª semana do Tempo Comum

XXV Domingo Comum B 2012

Setembro 22, 2012 Deixe um comentário

Se no último Domingo, o Evangelho partia da confissão de Pedro – desencadeada pelas perguntas de Jesus – para o anúncio da Sua paixão, hoje vamos fazer um percurso diferente: depois de Jesus anunciar pela segunda vez a Sua paixão, os discípulos voltam a demonstrar que ainda não perceberam o alcance das palavras do Mestre, pois entretêm-se a discutir e a olhar para o umbigo.

São, por isso, novamente repreendidos, eles que parecem desconhecer o sentido das provações do Justo, de que nos fala a primeira leitura.

A Palavra de hoje é também uma palavra de denúncia, por S. Tiago: o fruto da justiça semeia-se na paz.

ENTENDEMOS O TEU EVANGELHO?

Setembro 22, 2012 Deixe um comentário

A liturgia do 25º Domingo do Comum convida os crentes a prescindir da “sabedoria do mundo” e a escolher a “sabedoria de Deus”. Só a “sabedoria de Deus” – dizem os textos bíblicos deste domingo – possibilitará ao homem o acesso à vida plena, à felicidade sem fim.

O Evangelho apresenta-nos uma história de confronto entre a “sabedoria de Deus” e a “sabedoria do mundo”. Jesus, imbuído da lógica de Deus, está disposto a aceitar o projecto do Pai e a fazer da sua vida um dom de amor aos homens; os discípulos, imbuídos da lógica do mundo, não têm dificuldade em entender essa opção e em comprometer-se com esse projecto. Jesus avisa-os, contudo, de que só há lugar na comunidade cristã para quem escuta os desafios de Deus e aceita fazer da vida um serviço aos irmãos, particularmente aos humildes, aos pequenos, aos pobres.

A segunda leitura exorta os crentes a viverem de acordo com a “sabedoria de Deus”, pois só ela pode conduzir o homem ao encontro da vida plena. Ao contrário, uma vida conduzida segundo os critérios da “sabedoria do mundo” irá gerar violência, divisões, conflitos, infelicidade, morte.

A primeira leitura avisa os crentes de que escolher a “sabedoria de Deus” provocará o ódio do mundo. Contudo, o sofrimento não pode desanimar os que escolhem a “sabedoria de Deus”: a perseguição é a consequência natural da sua coerência de vida.

Marcador da Palavra para a 24.ª semana do Tempo Comum

Setembro 15, 2012 Deixe um comentário

Pega na tua cruz e segue-Me, não a levarás sozinho.

Nesta 24.ª semana do Tempo Comum, manifesta ao Senhor a tua gratidão por poderes celebrar o domingo com os teus irmãos na fé.

Não importa se estás só, pois a fé partilhada torna-se uma presença que nunca falha: a presença de Deus e a presença dos irmãos.

Não importa se estás só, pois a oração faz-te comungar a vida de milhões como tu.

Concretiza esta comunhão lembrando aqueles que te são mais próximos e dão o rosto à família de Deus e, na presença de todos os santos, começa a tua semana de oração.

Marcador da Palavra para a 24.ª semana do Tempo Comum

A FÉ SEM OBRAS É MORTA

Setembro 15, 2012 Deixe um comentário

E vós, quem dizeis que Eu sou? Jesus dirige a pergunta a todos e cada um de nós. Antes de a colocar aos discípulos, suscitando a confissão de fé de Pedro, o Senhor fez-lhes uma outra pergunta: Quem dizem os homens que Eu sou? Num tempo em que a figura de Jesus é rodeada de um interesse que, não raro, degenera numa controvérsia que tantas vezes serve apenas para nos confundir, levemos estas questões para casa e façamos delas tema da nossa reflexão semanal.

Uma pista para a nossa meditação pessoal pode ser esta: a identidade de Cristo passa pelas palavras que Ele proferiu a seguir, anunciando a Sua Paixão e Morte. Por ser um paradoxo, a nós – como aliás a Pedro – custa-nos a entrar na cabeça.

Talvez nos fosse mais cómoda outra verdade.

Não sabeis que, se a derdes, no final reencontrá-la-eis inteira?

Setembro 15, 2012 Deixe um comentário

A liturgia do 24º Domingo do Tempo Comum diz-nos que o caminho da realização plena do homem passa pela obediência aos projetos de Deus e pelo dom total da vida aos irmãos. Ao contrário do que o mundo pensa, esse caminho não conduz ao fracasso, mas à vida verdadeira, à realização plena do homem.

A primeira leitura apresenta-nos um profeta anónimo, chamado por Deus a testemunhar a Palavra da salvação e que, para cumprir essa missão, enfrenta a perseguição, a tortura, a morte. Contudo, o profeta está consciente de que a sua vida não foi um fracasso: quem confia no Senhor e procura viver na fidelidade ao seu projeto, triunfará sobre a perseguição e a morte. Os primeiros cristãos viram neste “servo de Jahwéh” a figura de Jesus.

No Evangelho, Jesus é apresentado como o Messias libertador, enviado ao mundo pelo Pai para oferecer aos homens o caminho da salvação e da vida plena. Cumprindo o plano do Pai, Jesus mostra aos discípulos que o caminho da vida verdadeira não passa pelos triunfos e êxitos humanos, mas pelo amor e pelo dom da vida (até à morte, se for necessário). Jesus vai percorrer esse caminho; e quem quiser ser seu discípulo, tem de aceitar percorrer um caminho semelhante.

A segunda leitura lembra aos crentes que o seguimento de Jesus não se concretiza com belas palavras ou com teorias muito bem elaboradas, mas com gestos concretos de amor, de partilha, de serviço, de solidariedade para com os irmãos.

MARCADOR DA PALAVRA – 23.ª semana do Tempo Comum

Setembro 7, 2012 3 comentários

Abres os meus ouvidos a partir de dentro

Chegas a mais esta semana de oração como viajante que procura o lugar do seu repouso.

Há uma tranquilidade feliz no caminho feito, mas mais ainda no lugar encontrado, o coração de Deus.

Confia ao Senhor as tuas dores, os teus cansaços, as tuas alegrias, os teus sucessos.

Na certeza de que Deus te escuta, começa a tua semana de oração.

MARCADOR DA PALAVRA – 23.ª semana do Tempo Comum