Arquivo

Archive for Abril, 2012

MÊS DE MARIA 2012

Maio aproxima-se. O mês de Maria está à porta.

Maio, mês dedicado a Nossa Senhora, pela piedade cristã, é um convite para voltarmos o nosso olhar a esta Mãe querida para pedir-lhe que abra as mãos maternas em bênção de carinho sobre os nossos passos nesta difícil escalada da Jerusalém celeste.

Anúncios

MARCADOR DA PALAVRA PARA A 4.ª SEMANA DA PÁSCOA

Esta é a 4.ª semana do Tempo Pascal. Não percas esta referência que te ajuda a dar sentido ao tempo e à tua semana.

Interroga-te sobre o Senhor Jesus ressuscitado. Mais ainda, interroga-te sobre a tua ressurreição procurando perceber até que ponto te sentes ressuscitado com Jesus.

Tu és testemunha da ressurreição e da transformação do mundo.

Na certeza de que o Senhor Ressuscitado está contigo, começa a tua semana.

Marcado da Palavra para esta semana

IV Domingo da Páscoa

No mundo complexo em que vivemos, frequentemente surgem chefes a agitar as multidões e a propor-lhes programas de ação que conduzam à paz e harmonia universais. Só Cristo poderá conseguir plenamente este desiderato, pois só Ele é o Bom Pastor que dá a vida pela multidão. É este Bom Pastor que, diante do Sinédrio, Pedro testemunha, inaugurando a pregação no nome de Jesus ao proclamar não só que Ele continua vivo como também que Ele é o único Salvador. Temos razões de sobra para estarmos felizes, pois, como nos lembra São Paulo, em virtude do amor com que Deus nos cumulou ao dar-nos o seu Filho, nós chamamo-nos verdadeiramente filhos de Deus e somos herdeiros da Sua glória.

O “BOM PASTOR” É DEUS CONNOSCO

O 4.º Domingo da Páscoa é considerado o “Domingo do Bom Pastor”, pois todos os anos a liturgia propõe, neste domingo, um trecho do capítulo 10 do Evangelho segundo João, no qual Jesus é apresentado como “Bom Pastor”. É, portanto, este o tema central que a Palavra de Deus põe, hoje, à nossa reflexão.

O Evangelho apresenta Cristo como “o Pastor modelo”, que ama de forma gratuita e desinteressada as suas ovelhas, até ser capaz de dar a vida por elas. As ovelhas sabem que podem confiar n’Ele de forma incondicional, pois Ele não busca o próprio bem, mas o bem do seu rebanho. O que é decisivo para pertencer ao rebanho de Jesus é a disponibilidade para “escutar” as propostas que Ele faz e segui-l’O no caminho do amor e da entrega.

A primeira leitura afirma que Jesus é o único Salvador, já que “não existe debaixo do céu outro nome, dado aos homens, pelo qual possamos ser salvos” (neste “Domingo do Bom Pastor” dizer que Jesus é o “único salvador” equivale a dizer que Ele é o único pastor que nos conduz em direção à vida verdadeira). Lucas avisa-nos para não nos deixarmos iludir por outras figuras, por outros caminhos, por outras sugestões que nos apresentam propostas falsas de salvação.

Na segunda leitura, o autor da primeira Carta de João convida-nos a contemplar o amor de Deus pelo homem. É porque nos ama com um “amor admirável” que Deus está apostado em levar-nos a superar a nossa condição de debilidade e de fragilidade. O objetivo de Deus é integrar-nos na sua família e tornar-nos “semelhantes” a Ele.

MARCADOR DA PALAVRA PARA A 3.ª SEMANA DA PÁSCOA

Quase sempre a nossa oração é feita de pedidos.

É natural que seja assim… somos pequenos e pobres diante de Deus.

Mas é importante ser agradecido, ser capaz de louvar o Senhor, bendizer o seu Nome Santo e as maravilhas que realiza em nosso favor.

Inicia a tua oração, louvando o Senhor por todos os seus dons e deixa que este sentimento de gratidão preencha a tua semana.

MARCADOR DA PALAVRA PARA A 3.ª SEMANA DA PÁSCOA

III Domingo da Páscoa

Jesus aparece aos Apóstolos e convida-os a tocar o seu Corpo glorificado, para que não subsistam dúvidas acerca da veracidade da Ressurreição. Ela será a garantia da fé e a força do apostolado de todos os seus seguidores. Com efeito, o plano de salvação traçado por Deus cumpriu-se em Jesus Cristo, que realizou todas as profecias do Antigo Testamento. Todavia, perante o desígnio de Deus, a atitude dos judeus é de incompreensão. Por isso é que o apóstolo S. Pedro os convida à conversão. Já S. João nos recorda que o mal só pode ser plenamente vencido com a ajuda de Cristo, nosso poderoso defensor junto do Pai.

RECONHECÊ-LO, CADA DIA

Jesus ressuscitou verdadeiramente? Como é que podemos fazer uma experiência de encontro com Jesus ressuscitado? Como é que podemos mostrar ao mundo que Jesus está vivo e continua a oferecer aos homens a salvação? É, fundamentalmente, a estas questões que a liturgia do 3.° Domingo da Páscoa procura responder.

O Evangelho assegura-nos que Jesus está vivo e continua a ser o centro à volta do qual se constrói a comunidade dos discípulos. É precisamente nesse contexto eclesial – no encontro comunitário, no diálogo com os irmãos que partilham a mesma fé, na escuta comunitária da Palavra de Deus, no amor partilhado em gestos de fraternidade e de serviço – que os discípulos podem fazer a experiência do encontro com Jesus ressuscitado. Depois desse “encontro”, os discípulos são convidados a dar testemunho de Jesus diante dos outros homens e mulheres.

A primeira leitura apresenta-nos, precisamente, o testemunho dos discípulos sobre Jesus. Depois de terem mostrado, em gestos concretos, que Jesus está vivo e continua a oferecer aos homens a salvação, Pedro e João convidam os seus interlocutores a acolherem a proposta de vida que Jesus lhes faz.

A segunda leitura lembra que o cristão, depois de encontrar Jesus e de aceitar a vida que Ele oferece, tem de viver de forma coerente com o compromisso que assumiu. Essa coerência deve manifestar-se no reconhecimento da debilidade e da fragilidade que fazem parte da realidade humana e num esforço de fidelidade aos mandamentos de Deus.

II Domingo de Páscoa B 2012

Com a Ressurreição começa um novo modo de existência para Jesus Cristo. A partir desse momento já não será possível vê-lo com os olhos da carne, mas com o olhar da fé. Ser cristão não é apenas aceitar a mensagem de Jesus como a mais bela de todas. A fé cristã é, antes de tudo, a prática dos mandamentos e uma forte adesão pessoal a Jesus Cristo, fonte de graça e salvação. Os primeiros cristãos viviam intensamente o mandamento do amor, que Jesus lhes tinha deixado. Este amor era, sobretudo, uma força que os impelia a porem em comum todos os seus bens.

MARCADOR DA PALAVRA PARA A 2.ª SEMANA DA PÁSCOA

Alegrai-vos sempre no Senhor.

Procura sentir-te na presença de Deus. Deixa o Senhor manifestar-se através de algum sinal que possas contemplar aí, onde te encontras.

Não tenhas pressa, olha sossegadamente em redor e interroga-te: aquele rosto, aquele cartaz, aquela árvore…

Deixa-te tocar interiormente pelas pessoas e pelas coisas e encontrarás sinais da presença de Deus e, na Sua presença, começa a tua oração diária.

Marcador da Palavra para a 2.ª Semana da Páscoa

DOMINGOS DO TEMPO PASCAL