Archive

Archive for Novembro, 2011

MINHA FAMÍLIA, CASA DE COMUNHÃO

Novembro 27, 2011 Deixe um comentário

Vamos preparar o NATAL durante este Advento, valorizando, na nossa família, a comunhão.

A família é a Igreja Doméstica que se deve construir dia a dia como verdadeira “Casa de Comunhão”. Assim também nos vamos preparando para a Festa da Primeira Comunhão, no dia da Festa da Imaculada Conceição. Ao mesmo tempo que cada família cresce no amor, como “Igreja doméstica” também se edifica a Igreja como “grande família”.

Este tempo do Natal é favorável à família, porque é a festa da família. Neste tempo o apelo à família é mais forte. Reparem como vêm de longe e longe vão, tantos homens e mulheres, pais, filhos, netos, avós, ao encontro das suas raízes, porque é Natal. E temos a imagem de marca da família simples, unida por um amor profundo e original entre Maria e José, tocada pelo dom e pelo mistério divinos, visitada pela surpresa de um Menino que é o Filho de Deus.

Desde o Natal de Jesus que a família se tornou o lugar por excelência da manifestação da Vida e do Amor que vêm de Deus; e o melhor e maior presente de Deus é termos uma boa e bela família. Ela é realmente para nós a primeira e insubstituível rede de apoio e de proximidade, abrigo e refúgio. Para termos essa bela família temos de fazer crescer nela os valores que a sustentam: a paz, o amor, a confiança, a esperança. Para que haja paz e harmonia na família é preciso cultivar o amor. Por isso o apelo do evangelho deste domingo: Vigiai, estai atentos uns aos outros, partilhando, ensinando e aprendendo a amar, pelo exemplo da dedicação aos outros, sobretudo aos mais débeis e necessitados, levando os filhos a servir os outros com ações concretas de amor que vá criando hábitos de amar. Não basta partilhar os nossos bens, as nossas coisas, mas também a nossa vida. É preciso colocar-nos ao serviço. Jesus, nosso modelo, não veio para ser servido mas para servir e dar a vida por todos. Seremos felizes se tornarmos os outros felizes.

Importa muito que os filhos aprendam que a verdadeira felicidade não se encontra nos prazeres sensíveis mas em dar e receber amor. O ser humano tem mais necessidade das pessoas do que das coisas.

Os pais não podem impor a confiança aos seus filhos. Devem ganhá-la. Como ? Amando-os de verdade sem egoísmos pessoais, interessando-se pelas suas coisas, brincando com eles… A confiança é muito importante para a educação na família. O jogo é um grande meio para aumentar a confiança com os filhos. Assim o confirma a experiência e o reconhecia um pai que ocupava um alto cargo na sociedade, ao ser surpreendido por um amigo brincando com os seus filhos como se fosse uma criança mais. Não imaginas, dizia ele sorrindo ao seu amigo, a confiança que o jogo cria entre mim e eles. Há que celebrar em família e de modo simples os pequenos êxitos dos filhos. É um modo bonito de fortalecer a união familiar e de aumentar a confiança do filho em si próprio ao ver reconhecido o seu valor pelos outros membros da família. Um excelente meio para educar bem é o diálogo pessoal e frequente com cada um dos filhos.

Enfim, neste Advento, amem-se em família, respeitem-se, ajudem-se, rezem em família, saibam perdoar, dialogar… tornem a família fonte onde se “bebe” o Amor e lugar onde se dê testemunho dele. Assim a família é uma verdadeira “Igreja doméstica” e é “Casa de comunhão

MARCADOR DA PALAVRA – 1.ª semana do Advento

Novembro 26, 2011 Deixe um comentário

Cada vez que te entregas à oração, mesmo que só por alguns instantes, inauguras um tempo novo na tua vida.

Esta semana é o momento de começar um tempo novo. Um tempo que é teu porque te foi dado, um tempo que só tem sentido se o ofereceres e te ofereceres com ele.

Vivemos vigiando, ou afogados pela preocupação da crise?

Novembro 26, 2011 Deixe um comentário

A liturgia do primeiro Domingo do Advento convida-nos a equacionar a nossa caminhada pela história à luz da certeza de que “o Senhor vem”. Apresenta também aos crentes indicações concretas acerca da forma devem viver esse tempo de espera.

A primeira leitura é um apelo dramático a Jahwéh, o Deus que é “pai” e “redentor”, no sentido de vir mais uma vez ao encontro de Israel para o libertar do pecado e para recriar um Povo de coração novo. O profeta não tem dúvidas: a essência de Deus é amor e misericórdia; essas “qualidades” de Deus são a garantia da sua intervenção salvadora em cada passo da caminhada histórica do Povo de Deus.

O Evangelho convida os discípulos a enfrentar a história com coragem, determinação e esperança, animados pela certeza de que “o Senhor vem”. Ensina, ainda, que esse tempo de espera deve ser um tempo de “vigilância” – isto é, um tempo de compromisso ativo e efetivo com a construção do Reino.

A segunda leitura mostra como Deus Se faz presente na história e na vida de uma comunidade crente, através dos dons e carismas que gratuitamente derrama sobre o seu Povo. Sugere também aos crentes que se mantenham atentos e vigilantes, a fim de acolherem os dons de Deus.

MARCADOR DA PALAVRA

Novembro 19, 2011 Deixe um comentário

Começa esta semana de oração com um ato de fé, na presença do Senhor.

Procura fazer este ato de fé com palavras tuas que te comprometam e exprimam os teus sentimentos mais profundos.

Repete-as uma e outra vez, dando tempo para que a presença de Deus se faça realidade vivida por ti, nas circunstâncias em que te encontras.

Se não conseguires sentir a presença de Deus, não te enerves; permanece firme na tua oração e diz humildemente: «Eu creio, Senhor, aumenta a minha pouca fé».

Marcador da Palavra para a 34.ª semana do Tempo Comum – Ano A

NOSSO SENHOR JESUS CRISTO, REI DO UNIVERSO

Novembro 19, 2011 Deixe um comentário

PantocratorNo 34º Domingo do Tempo Comum, celebramos a Solenidade de Nosso Senhor Jesus Cristo, Rei do Universo. As leituras deste domingo falam-nos do Reino de Deus (esse Reino de que Jesus é rei). Apresentam-no como uma realidade que Jesus semeou, que os discípulos são chamados a edificar na história (através do amor) e que terá o seu tempo definitivo no mundo que há de vir.

A primeira leitura utiliza a imagem do Bom Pastor para apresentar Deus e para definir a sua relação com os homens. A imagem sublinha, por um lado, a autoridade de Deus e o seu papel na condução do seu Povo pelos caminhos da história; e sublinha, por outro lado, a preocupação, o carinho, o cuidado, o amor de Deus pelo seu Povo.

O Evangelho apresenta-nos, num quadro dramático, o “rei” Jesus a interpelar os seus discípulo acerca do amor que partilharam com os irmãos, sobretudo com os pobres, os débeis, os desprotegidos. A questão é esta: o egoísmo, o fechamento em si próprio, a indiferença para com o irmão que sofre, não têm lugar no Reino de Deus. Quem insistir em conduzir a sua vida por esses critérios ficará à margem do Reino.

Na segunda leitura, Paulo lembra aos cristãos que o fim último da caminhada do crente é a participação nesse “Reino de Deus” de vida plena, para o qual Cristo nos conduz. Nesse Reino definitivo, Deus manifestar-Se-á em tudo e actuará como Senhor de todas as coisas (vers. 28).

MARCADOR DA PALAVRA

Novembro 12, 2011 1 comentário

Em tudo, em todo o lugar, e sempre, oferece ao Senhor os bens que te concede.

Entrega-lhe também os sofrimentos que não deixarão de bater à tua porta e pede-Lhe a graça de poderes realizar algo de bom em cada dia que recebes o seu Amor.

Este é o tempo de Deus; este é o tempo favorável, o melhor dos tempos.

Agradecido por este tempo que te concede, começa a tua semana de oração.

Marcador para a 33.ª semana do_Tempo_Comum – ano A

FAZEMOS RENDER OS NOSSOS TALENTOS?

Novembro 11, 2011 Deixe um comentário

A liturgia do 33º Domingo do Tempo Comum recorda a cada cristão a grave responsabilidade de ser, no tempo histórico em que vivemos, testemunha consciente, ativa e comprometida desse projeto de salvação/libertação que Deus Pai tem para os homens.

O Evangelho apresenta-nos dois exemplos opostos de como esperar e preparar a última vinda de Jesus. Louva o discípulo que se empenha em fazer frutificar os “bens” que Deus lhe confia; e condena o discípulo que se instala no medo e na apatia e não põe a render os “bens” que Deus lhe entrega (dessa forma, ele está a desperdiçar os dons de Deus e a privar os irmãos, a Igreja e o mundo dos frutos a que têm direito).

Na segunda leitura, Paulo deixa claro que o importante não é saber quando virá o Senhor pela segunda vez; mas é estar atento e vigilante, vivendo de acordo com os ensinamentos de Jesus, testemunhando os seus projetos, empenhando-se ativamente na construção do Reino.

A primeira leitura apresenta, na figura da mulher virtuosa, alguns dos valores que asseguram a felicidade, o êxito, a realização. O “sábio” autor do texto propõe, sobretudo, os valores do trabalho, do compromisso, da generosidade, do “temor de Deus”. Não são só valores da mulher virtuosa: são valores de que deve revestir-se o discípulo que quer viver na fidelidade aos projetos de Deus e corresponder à missão que Deus lhe confiou.

MARCADOR DA PALAVRA

Novembro 5, 2011 Deixe um comentário

Vais começar a tua semana de oração.

Não tenhas pressa, deixa que o teu interior se acalme.

Procura aquele espaço interior onde te encontras habitualmente com Deus.

Repete o nome de Jesus ao ritmo da tua respiração.

Devagar, deixa que o teu interior se torne terra pacífica onde Deus pode fazer a sua morada.

Marcador da Palavra para 32.ª semana do Tempo_Comum – ano A

A VIDA IMPRUDENTE É EFÉMERA

Novembro 5, 2011 Deixe um comentário

A liturgia do 32º Domingo do Tempo Comum convida-nos à vigilância. Recorda-nos que a segunda vinda do Senhor Jesus está no horizonte final da história humana; devemos, portanto, caminhar pela vida sempre atentos ao Senhor que vem e com o coração preparado para o acolher.
Na segunda leitura, Paulo garante aos cristãos de Tessalónica que Cristo virá de novo para concluir a história humana e para inaugurar a realidade do mundo definitivo; todo aquele que tiver aderido a Jesus e se tiver identificado com Ele irá ao encontro do Senhor e permanecerá com Ele para sempre.

O Evangelho lembra-nos que “estar preparado” para acolher o Senhor que vem significa viver dia a dia na fidelidade aos ensinamentos de Jesus e comprometidos com os valores do Reino. Com o exemplo das cinco jovens “insensatas” que não levaram azeite suficiente para manter as suas lâmpadas acesas enquanto esperavam a chegada do noivo, avisa-nos que só os valores do Evangelho nos asseguram a participação no banquete do Reino.

A primeira leitura apresenta-nos a “sabedoria”, dom gratuito e incondicional de Deus para o homem. É um caso paradigmático da forma como Deus se preocupa com a felicidade do homem e põe à disposição dos seus filhos a fonte de onde jorra a vida definitiva. Ao homem resta estar atento, vigilante e disponível para acolher, em cada instante, a vida e a salvação que Deus lhe oferece.