Início > Editorial > UMA SEMANA PASCAL

UMA SEMANA PASCAL

Partilho convosco o que foi esta minha 5.ª semana da Páscoa; dias em que me ausentei da atividade pastoral para cuidar da minha perna, tratando-a com argila. Agradeço muito a quem me acolheu e tratou de mim com sabedoria e com dedicação. Vi neles o Amor de Deus. Por isso, dou graças a Deus: Senhor, eu Te agradeço por me teres enviado a celebrar esta Páscoa. Pelas pessoas e por este tempo que me deste para professar a minha Fé em Ti, reconhecendo que Tu és verdadeiramente o que tantas vezes Te dizemos: Creio em Deus Pai Todo-poderoso Criador e Senhor do Céu e a Terra. Como é bela a tua paternidade.

Nestes dias tive a graça de contemplar as maravilhas do sol, da chuva, do vento, dos campos, nesta extraordinária e vasta paisagem que tenho pela frente, avistando-se até à serra de Montejunto e às torres do convento de Mafra, com um matiz de campos semeados, outros de searas verdejantes, pomares e vinhas, zonas de pinheiros e de eucaliptos… que encanto. No meio de tudo isto habitam os homens, teus filhos meus irmãos, em diversas povoações que avisto daqui. Mas convidaste-me também a contemplar mais de perto a tua beleza nos animais e pássaros que me deste como vizinhos: duas galinhas poedeiras e um cão, o Bobi, com quem elas dormem, dando-se muito bem. Como tu me ensinas os teus mandamentos até pelo exemplo dos animais. Eles respeitam-se, até convivem com alegria. O cão é de uma obediência enternecedora. Vem à porta mete a cabeça, mas não entra. À palavra que se diz, ele obedece. Como temos de aprender até com os animais. E os passarinhos? Que beleza! Vêm saltitar à minha frente, chilreando e um casal de “ruivos” afadigam-se em trazer comer no bico para os seus filhotes que estão no seu ninho construído debaixo de um alpendre junto da minha porta e chilreando de contentes com o bico aberto para acolher a comida que os seus pais lhes trazem. É um cuco e são as rolas que nas árvores vizinhas vêm cantar para mim. Como é bela a tua criação. Graças Te damos Senhor. Mas além da alegre companhia destes seres, Vós me destes as árvores de fruto, com saborosas e deliciosas nêsperas e também a boa água de um poço.

Tantas outras coisas me dás todos os dias que são motivo para Te louvar e agradecer.

Creio em Jesus Cristo, teu Filho, nosso Redentor. Tu nos enviaste o teu Filho, a tua Palavra viva que ilumina a nossa existência, que nos faz pensar, abrindo os nossos olhos, libertando-nos do que nos oprime. Nestes dias utilizando uma alimentação mais natural, isenta de carne e peixe, utilizando sobre a minha doença a argila e agora os banhos de malvas e terebintina, com o própolis, descobri o caminho da minha libertação. Faz-me lembrar o episódio evangélico do cego de Jerico, em que Jesus lhe diz: “Vai, lava-te na piscina de Siloé”. Fui e converti-me, com a ajuda de um médico naturista.

Animado pelo Espírito vou seguir o caminho de vegetariano. Mudei de vida. Deixei hábitos alimentares. É, sem dúvida, uma mudança pascal.

P. Batalha

Anúncios
  1. Ainda sem comentários.
  1. No trackbacks yet.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s