Archive

Archive for Abril, 2010

SÓ VOS DOU UM MANDAMENTO: AMAR

Abril 29, 2010 Deixe um comentário

Monte do Cenáculo onde Jesus disse o evangelho de hoje

O tema fundamental da liturgia deste domingo é o do amor: o que identifica os seguidores de Jesus é a capacidade de amar até ao dom total da vida.

No Evangelho, Jesus despede-Se dos seus discípulos e deixa-lhes em testamento o “mandamento novo”: “amai-vos uns aos outros, como Eu vos amei”. É nessa entrega radical da vida que se cumpre a vocação cristã e que se dá testemunho no mundo do amor materno e paterno de Deus.

Na primeira leitura apresenta-se a vida dessas comunidades cristãs chamadas a viver no amor. No meio das vicissitudes e das crises, são comunidades fraternas, onde os irmãos se ajudam, se fortalecem uns aos outros nas dificuldades, se amam e dão testemunho do amor de Deus. É esse projecto que motiva Paulo e Barnabé e é essa proposta que eles levam, com a generosidade de quem ama, aos confins da Ásia Menor.

A segunda leitura apresenta-nos a meta final para onde caminhamos: o novo céu e a nova terra, a realização da utopia, o rosto final dessa comunidade de chamados a viver no amor.

in ecclesia

Pedimos-Te, Senhor, que nos ajudes
a recuperar um coração sensível
que se mostre interessado
pelas penas e alegrias
do nosso mundo.
Um coração como o Teu,
aberto às necessidades dos outros,
dolorido perante o sofrimento alheio,
pronto a sair ao encontro
de quem necessite de nós;
um coração que se derrame
nas nossas mãos e nos nossos lábios,
que fale de proximidade e de amor,
uma linguagem de autênticos irmãos.
Isabel Gómez-Acebo

PORTUGUÊS

CASTELLANO

MISSÃO E VOCAÇÕES !

Abril 24, 2010 Deixe um comentário

Ser cristão é ser missionário; se o cristão não é missionário, é porque está a faltar à sua vocação. Quem quer ser baptizado é porque quer seguir Jesus Cristo, ser testemunha d’ Ele, ser missionário. Quem quer ser crismado é por que decidiu ser missionário mais empenhado na sua vida quotidiana. Ser crismado para ser padrinho é para prestar uma ajuda nos primeiros passos do compromisso cristão dos afilhados e a sua vida possa servir de modelo aos afilhados. Porque se um padrinho não cuida de viver a sério a sua vida cristã, não pode ajudar nem servir de exemplo ao afilhado.

A vocação baptismal é missionária.

É nesta vocação primeira que assentam as vocações de serviço e consagração, tão necessárias no mundo e na Igreja.

Numa sociedade que preza tanto o ter, em que parece campear a aspiração sempre renovada do bem-estar e conforto, que tão frequentemente se deixa fascinar pelo luxo, em contraste directo com gritantes misérias, o desenvolvimento, a partilha e a solidariedade, são desafios para todos.

As tarefas da Igreja e na Igreja são múltiplas: do ministério aos serviços simples e escondidos e aos trabalhos que exigem cultura, junto de pessoas em diversas condições; mas sempre próximos das pessoas. Por isso, o Espírito tem suscitado muitas iniciativas para responder aos vários apelos e necessidades dos tempos e lugares; e o primeiro meio e caminho mais eficaz na missão é o testemunho de vida. E uma exigência do testemunho passa pelas vocações de consagração, nomeadamente, a sacerdotal para a proclamação do anúncio da Salvação de Cristo Jesus que há-de ser sentido, como disse Pedro: “Não podemos deixar de falar”, para lançar a semente da Verdade e do Bem, envolvendo a escuta da Palavra de Deus com meditação e oração.

A messe é grande, mas os trabalhadores são poucos”. Este apelo é para todos os que neste problema estão implicados – e é afinal todo o Povo de Deus – a dedicarem toda a boa vontade ao campo das vocações: pela oração insistente, pelo exemplo, sobretudo da parte dos já escolhidos, e nas famílias e escolas.

A vós jovens se propõe que definam um ideal, amai a vida e dai-lhe uma finalidade nobre. Deveis, por isso, falar muito a Deus dos homens para depois poderdes falar aos homens de Deus. Digo-vos: “há três ‘muitos’ que recompensam outros três: muito estudo, muita ciência; muita reflexão, muita sabedoria; muita virtude, muita paz”.

Cristo Ressuscitado também nos chama, dizendo-nos: “Sereis minhas testemunhas!”; e olhai para tantos que nos precederam com o seu exemplo. Coragem!

P. Batalha

MARCADOR PARA A 4ª SEMANA DA PÁSCOA

Abril 24, 2010 Deixe um comentário

>> Marcador_da_Palavra_Pascoa4-C << (versão para imprimir)

Se te sentes alegre, deixa a tua alegria transparecer e contagiar os que vivem contigo. Se te sentes triste ou em sofrimento, fica unido a Jesus crucificado e deixa que a tua dor seja transfigurada pela alegria do Ressuscitado. A tua oração, alegre ou sofrida, será sempre um cântico de louvor.

EU VOS CONHEÇO UM A UM

Abril 24, 2010 Deixe um comentário

O 4º Domingo do Tempo Pascal é considerado o “Domingo do Bom Pastor”, pois todos os anos a liturgia propõe um trecho do capítulo 10 do Evangelho segundo João, no qual Jesus é apresentado como Bom Pastor. É, portanto, este o tema central que a Palavra de Deus hoje nos propõe.

O Evangelho apresenta Cristo como o Bom Pastor, cuja missão é trazer a vida plena às ovelhas do seu rebanho; as ovelhas, por sua vez, são convidadas a escutar o Pastor, a acolher a sua proposta e a segui-l’O. É dessa forma que encontrarão a vida em plenitude.

A primeira leitura propõe-nos duas atitudes diferentes diante da proposta que o Pastor (Cristo) nos apresenta. De um lado, estão essas “ovelhas” cheias de auto-suficiência, satisfeitas e comodamente instaladas nas suas certezas; de outro, estão outras ovelhas, permanentemente atentas à voz do Pastor, que estão dispostas a arriscar segui-l’O até às pastagens da vida abundante. É esta última atitude que nos é proposta.

A segunda leitura apresenta a meta final do rebanho que seguiu Jesus, o Bom Pastor: a vida total, de felicidade sem fim.

NÃO TENHAS MEDO !

Abril 17, 2010 Deixe um comentário

O laicismo intensificou a sua guerra ao cristianismo. É a guerra do ateísmo à Igreja.

Acreditemos na promessa de Jesus: “Eu estarei sempre convosco até ao fim dos tempos!” Portanto não tenhais medo! E a Pedro disse: “Tu és Pedro e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela” (Mt. 16,18).

Os cristãos sempre sofreram perseguição, desde o princípio. Chesterton, em 1908, dizia que o cristianismo foi atacado por todos os lados e com todos os argumentos, por mais que esses argumentos se opusessem entre si.

Por exemplo acusaram a Igreja de ser culpada de terríveis perseguições religiosas, étnicas e sociais, amiga de câmaras de tortura, chacinas, genocídios; no entanto, a história de 2000 anos dos cristãos é feita de caridade, de mediação, de pacifismo. Tudo o que o nosso tempo sabe de direitos humanos, diplomacia, cooperação e tolerância, foi bebê-los a autores cristãos.

A seguir vieram os marxistas atacar a Igreja por ser contra os proletários e a favor dos ricos; quando é evidente o cuidado permanente dos cristãos pelos pobres e infelizes, e as maravilhas sociais da solidariedade católica no apoio aos desfavorecidos.

Agora, à Igreja é apontada a pedofilia. Ninguém tem mais desregramento sexual que a sociedade do nosso tempo. Nenhuma entidade tem feito mais pelo equilíbrio da sexualidade e a moralização da vida pessoal da humanidade do que a Igreja.

Evidentemente que as acusações partem de algo verdadeiro, porque se a Igreja é santa na sua origem e nos seus fins, entretanto, é pecadora nos seus membros militantes. A Igreja não pode condescender nunca com tal prevaricação. Jesus dirige uma condenação severa aos pedófilos e a quantos são motivo de escândalo para os mais novos. Daí o Papa Bento XVI reconhecer tais abusos e pedir perdão às vítimas de tais crimes cometidos. Mas acrescentou algo mais: o Papa também toma sobre si a dor das vítimas e chama os responsáveis por tais crimes à conversão, ao arrependimento, à penitência e a buscar o perdão de Deus.

Entretanto, sabemos que a insinuação gravosa publicitária de padres pedófilos tem o objectivo de denegrir a Igreja e o seu Pastor, com uma campanha de perguntas, tais como esta: Quem mandará ainda as suas crianças à Igreja?! Por isso, a intenção não é apenas contra a pessoa do Papa, porque Bento XVI tornou-se invencível na sua imagem, na sua serenidade, na sua limpidez, firmeza e doutrina. Basta o seu sorriso manso para derrotar um exército de adversários.

E nós vamos usufruir da graça de o ter entre nós, dentro de poucos dias. Vamos recebê-lo com muito carinho, com muita oração e com muita atenção ao que ele nos vem ensinar. Saibamos combater esta guerra com as armas da Luz da Fé. Este é o tempo do testemunho da fidelidade, da união e do empenhamento evangelizador, para que a nossa Fé seja mesmo em Jesus Cristo e na sua, com consciência da 9ª Bem-aventurança: Bem aventurados sereis quando vos insultarem e perseguirem, por minha causa (Mt. 5,11)

P. Batalha

MARCADOR DA PALAVRA PARA A 3ª SEMANA DA PÁSCOA

Abril 17, 2010 Deixe um comentário

>> Marcador_da_Palavra_Pascoa3-C << (versão para imprimir)

>> Marcador_da_Palavra_Pascoa3-C-pdf << (versão para colocar na Bíblia)

Senhor Deus, há tantas coisas à minha volta e dentro de mim, tantas coisas que enchem a minha vida. Mas agora, Senhor, neste momento e nos próximos dias, quero ficar só contigo. Fica comigo Senhor! Eu sei que Tu estás sempre comigo, mas é muito fácil esquecer-me; por isso Te digo outra vez: fica comigo Senhor!

Senhor, Tu sabes que sempre Te amei,
e continuo a amar-Te;
Tu sabes que Te amo.
Apesar de que me custa descobrir-Te entre as pessoas,
apesar de ser lerdo em ver-Te vestido de pobre,
Tu sabes que Te amo.
Apesar das minhas dúvidas de fé,
da minha esperança vacilante,
e do meu amor possessivo,
Tu sabes que Te amo.
Eu Te amo, Senhor,
porque Tu me amaste primeiro, porque sempre confias
nas possibilidades que tenho a fim de ser, junto a Ti,
aqui no meu posto,
servidor fraterno.

F.Ulibarri

UNIDOS A JESUS OS FRUTOS SÃO ABUNDANTES

Abril 17, 2010 Deixe um comentário

Lago da Galileia

A liturgia deste 3º Domingo do Tempo Pascal recorda-nos que a comunidade cristã tem por missão testemunhar e concretizar o projecto libertador que Jesus iniciou; e que Jesus, vivo e ressuscitado, acompanhará sempre a sua Igreja em missão, vivificando-a com a sua presença e orientando-a com a sua Palavra.

A primeira leitura apresenta-nos o testemunho que a comunidade de Jerusalém dá de Jesus ressuscitado. Embora o mundo se oponha ao projecto libertador de Jesus testemunhado pelos discípulos, o cristão deve antes obedecer a Deus do que aos homens.

A segunda leitura apresenta Jesus, o “cordeiro” imolado que venceu a morte e que trouxe aos homens a libertação definitiva; em contexto litúrgico, o autor põe a criação inteira a manifestar diante do “cordeiro” vitorioso a sua alegria e o seu louvor.

O Evangelho apresenta os discípulos em missão, continuando o projecto libertador de Jesus; mas avisa que a acção dos discípulos só será coroada de êxito se eles souberem reconhecer o Ressuscitado junto deles e se deixarem guiar pela sua Palavra.

in ecclesia

PORTUGUÊS

ESPAÑOL

ENGLISH

EU ACREDITO

Abril 15, 2010 Deixe um comentário

VATICANO PUBLICA GUIA PARA CASOS DE ABUSO DE MENORES

Abril 12, 2010 Deixe um comentário

O Vaticano publicou hoje, no seu site, um guia para esclarecer a opinião pública mundial sobre a actuação da Igreja Católica face a eventuais casos de abusos de menores por parte de sacerdotes.

Para ler mais, siga este link. >> VATICANO PUBLICA GUIA PARA CASOS DE ABUSO DE MENORES

VEM AÍ O PAPA !

Abril 10, 2010 Deixe um comentário

Bento XVI vem visitar os católicos de Portugal, de 11 a 14 de Maio. O 1º dia é para Lisboa.

Que virá dizer-nos ? Ele é o Pastor, em nome do Bom Pastor, Cristo Ressuscitado. Ele vem falar aos portugueses que se encontram actualmente numa situação de enormes desigualdades que, com a crise, tendem a acentuar-se. É que alimentámos grandes esperanças e agora encontramo-nos, muitas vezes, desencantados e desmoralizados. O Papa vem como Pastor e Mestre.

A sua presença é uma oportunidade para a reflexão. Tendo em conta a sua última encíclica “Caridade na Verdade” e, perante a realidade das desigualdades sócio-económicas, não deixará de nos propor um olhar atento para novas atitudes. Outra questão que, com certeza, enfrentará e que apela à conversão, é a cultura europeia da morte do homem pelo homem. É impressionante que em Portugal, todos os dias, pelo menos uma pessoa é morta por outra. Enfim, outros serão os campos da sua intervenção, tais como os cuidados da saúde, da educação e da cultura, da vida e dos vulneráveis,… dos valores estruturantes da sociedade. Recordar-nos-á, a nós católicos, que não podemos ser ‘velhos do Restelo’, frustrados, a apontar o dedo aos políticos, à justiça e a outros e ficar de fora. Todos nós somos responsáveis pelo bem comum, desempenhando cada um a sua vocação e missão, começando pela oração e depois pela moralidade pública de que fazemos parte. A conversão tem de começar por nós.

Vamos acolher Bento XVI e escutar a sua palavra, as suas mensagens de vida e de amor, os seus ensinamentos e a sua doutrina, os seus pedidos. Ele vai ter oportunidade de falar a muitos grupos, de fazer muitos discursos e homilias. Será sempre como Pastor sábio e humilde, a cativar-nos por dentro. Será sempre um Pai a dialogar com os seus filhos. Será profeta a iluminar as inteligências e os corações. Falará a Bispos e Padres, aos religiosos e consagrados. Falará ao mundo da cultura, aos jovens, aos homens da política e aos da acção social. Falará às multidões. Recordará a necessidade de conversão e de mudança, mensagem de Maria em Fátima.

Temos muito que aprender e que reflectir.

É uma oportunidade única que não devemos desperdiçar. É uma manifestação de Cristo Ressuscitado, o Bom Pastor que vem cuidar das suas ovelhas. Ele vem reanimar-nos a Esperança e a alegria; vem-nos consolidar as razões de viver e de amar. Saibamos acolhê-l’O.

Rezemos pelo Papa, Peregrino do Evangelho entre as nações.

P. Batalha

(Podeis visitar o sítio na net em http://www.bentoxviportugal.pt)