Início > Editorial > Escutismo

Escutismo

“O Escutismo é um jogo que nos prepara para o grande jogo que é a vida” Baden Powell

Na educação dos filhos o objectivo deve preocupar-se com a pessoa toda – a vida com todas as suas manifestações. O jogo faz parte da vida dos mais novos. As crianças gostam de brincar. O jogo é fundamental na vida das crianças. Mas atenção: Há brincadeiras em que sempre quem erra é que tem que sair; noutras o mais forte ou mais esperto é quem vence;  e até noutras se estimulam a violência… Essas brincadeiras preparam as crianças para uma sociedade  injusta.

Há outras brincadeiras, em que todos têm vez: o que vale não é o ser mais forte ou mais esperto, mas sim a amizade, a união, a participação…aprender a viver em grupo, a desenvolver o corpo, a inteligência, a vontade, a memória, a criatividade, a afectividade, as emoções, os valores (justiça, honestidade, ajuda aos outros…).

Vejamos o comportamento das crianças e adolescentes nas brincadeiras: Crianças amigas – criativas – responsáveis – interessadas – alegres – agressivas – tímidas – tristes – mandonas – solitárias….Porquê ?  Procurar as causas desse comportamento.

Tenhamos, por isso, consciência de que uma coisa é a instrução e outra é a educação. Não podemos, face às carências sociais, contentar-nos com uma instrução. É preciso promover uma verdadeira educação, com vista a um desenvolvimento global. Desenvolvimento que passa pelos fins educativos, ignorados pelos programas escolares, quer se trate do desenvolvimento da personalidade, da saúde, da criatividade, da aprendizagem das relações sociais, ou descoberta do sentido da existência. O Escutismo visa um desenvolvimento global.

O fundador do Escutismo, B.P., resume esta ambição em cinco objectivos: personalidade, actividade manual, saúde e desenvolvimento físico, serviço dos outros e felicidade.

Conhecer a criança, o adolescente e o seu meio ambiente, são dois pontos de partida da educação escutista. Qual o método a empregar ?

A pedagogia do Escutismo é baseada num fenómeno espontâneo de intermediação que se observa na criança e no adolescente: o jogo.

Para crescer, a criança tem necessidade de exprimir os dinamismos que traz  em si mesma  (lutar, construir, etc…) e de descobrir o que a rodeia, explorando-lhe as possibilidades ou os obstáculos. É disto que nasce o jogo. Pôr em jogo a realidade é explorá-la, descobri-la e ao mesmo tempo descobrir as suas possibilidades.

O jogo é portanto a “margem” de liberdade que existe no quadro da vida e que permite uma exploração dos dinamismos do indivíduo. O jogo é um espaço de experiências.

Na criança, o jogo é um meio espontâneo de exploração de si próprio, dos outros e do mundo. O jogo só é possível se for uma acção, se tiver imaginário, grupos com diferentes tarefas, regras estabelecidas. São elementos indispensáveis para permitir uma verdadeira educação.

O Escutismo é uma educação pela acção. Pretende-se formar simultaneamente consciências livres e indivíduos respeitadores dos direitos e das liberdades dos outros.

P. Batalha

Anúncios
  1. Ainda sem comentários.
  1. No trackbacks yet.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s