Archive

Archive for Junho, 2008

Bento XVI inaugurou Ano Paulino

Junho 30, 2008 Deixe um comentário

Bento XVI presidiu este Sábado, 28 de Junho, à abertura solene do Ano Paulino, que assinala os 2000 anos do nascimento de São Paulo, figura central do Cristianismo.Antes da celebração das Vésperas, na Basílica papal de São Paulo fora de muros, em Roma, o Papa abriu a Porta Paulina, debaixo do quadripórtico deste templo, e foi acesa a Chama Paulina que arderá ao longo de todo o ano. Antes da chegada ao altar, o Papa desceu para venerar o sepulcro do Apóstolo.

Na homilia da cerimónia, que contava com a presença do Patriarca Ortodoxo de Constantinopla, Bartolomeu I, e outros líderes cristãos – sinal concreto do diálogo ecuménico que se pretende levar por diante neste ano -, o Papa lembrou São Paulo como “Mestre das Nações, cuja palavra se abre ao futuro, para todos os povos e todas as gerações”.

“Paulo não é para nós uma figura do passado, que recordamos com veneração. Ele é também o nosso mestre, apóstolo e anunciador de Jesus Cristo”, acrescentou.

Dando o significado para este ano jubilar, Bento XVI explicou que “não estamos aqui para reflectir sobre uma história passada, irrevogavelmente superada. Paulo quer falar connosco”.

“Por isso, quis este especial Ano Paulino: para ouvi-lo e para aprender agora com ele, como nosso mestre, a fé e a verdade, na qual se enraízam as razões da unidade entre os discípulos de Cristo”, precisou.

A esta vontade se liga ainda a presença da Chama Paulina, “que permanecerá acesa durante todo o ano” dedicado a São Paulo.

“É para mim motivo de intima alegria – salientou o Papa – que a abertura do ano Paulino, assuma um particular carácter ecuménico pela presença de numerosos delegados e representantes de outras Igrejas e Comunidades eclesiais, que acolho com coração aberto”.

Bento XVI comentou depois uma passagem da Carta de São Paulo aos Gálatas onde o Apóstolo apresenta uma profissão de fé muito pessoal:”vivo na fé do Filho de Deus, que me amou e se entregou a Si mesmo por mim” (Gal 2,20).

“Tudo aquilo que Paulo faz, parte deste centro. A sua fé é a experiência de ser amado por Jesus Cristo de uma maneira muito pessoal; é a consciência do facto que Cristo enfrentou a morte não por algo anónimo, mas por amor dele – de Paulo – e que, como Ressuscitado, o ama ainda, isto é, que Cristo se entregou por ele”, disse o Papa.

“A sua fé é o ser atingido pelo amor de Jesus Cristo, um amor que o abala até ás entranhas e o transforma. A sua fé não é uma teoria, uma opinião sobre Deus e sobre o mundo. A sua fé é o impacto do amor de Deus sobre o seu coração. E assim, esta mesma fé é amor por Jesus Cristo”, acrescentou.

Na sua homilia, Bento XVI especificou depois que no mais profundo do coração aquilo que motivava o Apostolo Paulo era o facto de ser amado por Jesus Cristo e o desejo de transmitir a outros este amor.

“Paulo era uma pessoa capaz de amor, e todo o seu operar e sofrer se explica apenas a partir deste centro… A experiência de ser amado até ao fundo por Cristo abrira-lhe os olhos sobre a verdade e sobre a existência humana – aquela experiência abraçava tudo”, precisou.

Para o Papa, “Paulo era livre, como homem amado por Deus que, em virtude de Deus, era capaz de amor juntamente com Ele. Este amor é agora a lei da sua vida e precisamente assim é a liberdade da sua vida”.

A concluir a homilia, Bento XVI agradeceu a Deus por ter chamado Paulo, “tornando-o luz das gentes e mestre de todos”, e pediu que também hoje haja “testemunhas da ressurreição tocadas pelo seu amor e capazes de levar a luz do Evangelho ao nosso tempo”.

Por sua vez o Patriarca Ecuménico Bartolomeu I, intervindo depois da homilia do Papa, salientou que a Basílica de São Paulo fora de muros é sem duvida um lugar apropriado para comemorar e celebrar um homem que estabeleceu uma aliança entre a língua grega e a mentalidade romana do seu tempo, “despojando o Cristianismo, de uma vez para sempre de qualquer estreiteza mental, e forjando para sempre o fundamento católico da Igreja ecuménica”.

O Patriarca Ortodoxo deixou votos no sentido de que a vida e as Cartas de São Paulo continuem a ser “fonte de inspiração, para que todas as gentes obedeçam à fé em Cristo”.

(Via Rádio Vaticano e Agência Ecclesia)

Ordenação do Pe. Daniel Gomes de Almeida

Junho 29, 2008 Deixe um comentário

Hoje, às 16 horas, na igreja do Mosteiro dos Jerónimos, haverá Ordenações de de Presbíteros e de Diáconos, conferidas pelo Cardeal Patriarca de Lisboa:

  • 7 presbíteros diocesanos;
  • 1 Diácono permanente diocesano;
  • 2 Diáconos da Congregação Religiosa “Sacerdotes do Coração de Jesus (Dehonianos)”;
  • 1 Diácono da Congregação da Missão.

Um dos futuros presbíteros diocesanos é o Daniel Almeida.

Saudamo-lo com alegria e gratidão pela sua doação a Deus e à Igreja. O Senhor o encha das suas Bênçãos com os dons do Seu Espírito para que generosa e fielmente desempenhe as responsabilidades que lhe forem atribuídas. Vamos preparar-nos para o acolhermos na sua Missa Nova, no próximo dia 20 de Julho, na Marquiteira.

Exultantes de alegria vamos fazer a Festa porque o Senhor é grande.

Aos leigos, às Irmãs Religiosas e aos sacerdotes que nos ajudaram a celebrar o mês de preparação, queremos agradecer a todos eles. A nossa gratidão pelos seus testemunhos. Que Deus os fortifique na Fé, na coragem, na alegria e na Paz, com a Sua Bênção.

DANIEL GOMES DE ALMEIDA

  • Nascimento: 31 de Agosto de 1983; White Plains, New York, Estados Unidos da América
  • Baptismo: 23 de Outubro de 1983, Paróquia Nossa Senhora de Fátima, Yonkers, New York, Estados Unidos da América
  • Confirmação: 11 de Maio de 1997, Igreja paroquial de Santa Bárbara da Marquiteira, Lourinhã
  • Escolas: 1º Ciclo do ensino básico: Escola primária da Marquiteira; 2º e 3º Ciclos do ensino básico: Escola C+S Ribamar (hoje EB 2 e 3 Ribamar); Ensino secundário: Escola Média de Hotelaria e Turismo do Estoril
  • Habilitações: Pré-Seminário: 1999-2001; Seminário de S. José de Caparide: 2001-2004; Seminário de Cristo Rei, Olivais: desde 23 de Setembro de 2004; Curso profissional de Restaurante/Bar, Escola Média de Hotelaria e Turismo do Estoril, em 1998-2001; A concluir o Mestrado Integrado em Teologia, Faculdade de Teologia, UCP, em 2002-2007; Frequenta o Ano pastoral no Seminário dos Olivais (2007/08).
  • Pastoral: Paróquias de Ramada e Famões: 2004-2006; Pré-Seminário: desde 2006
  • Instituições: Leitor: 26 de Março 2006; Acólito: 15 de Março 2007
  • Diaconado: 2 de Dezembro de 2007, no Mosteiro dos Jerónimos
  • Missa Nova: Marquiteira, 20 de Julho, 16h

O ANO DE SÃO PAULO – A sua vocação

Junho 28, 2008 Deixe um comentário

A propósito dos dois mil anos do nascimento de S. Paulo, o Papa Bento XVI convida a Igreja a celebrar o “Ano Paulino”, de 28 de Junho de 2008 a 29 de Junho de 2009, como Ano Santo.

Nós que temos vindo a falar de Vocações, por ocasião da ordenação do Daniel, temos em S. Paulo um exemplo significativo.

Como Deus o chamou para servir o Evangelho de Jesus?

Leiamos o livro dos Actos dos Apóstolos (Actos, 8 e 9, 1-19; 22,5-16; 26, 9-18).

Sabemos que, no caminho de Damasco, este fariseu, perseguidor da Igreja, encontra Cristo que se lhe revela pessoalmente e lhe confia a missão de anunciar o Evangelho. A sua vida, doutrina e missão seriam inexplicáveis sem aquele primeiro momento em que se encontrou com Cristo dum modo tão pessoal e profundo.

Diz-nos ele: Deus chamou-me pelo nome, revelou-me Seu Filho para O anunciar como Evangelho…e pela graça de Deus sou o que sou.

Olhando para a vocação de S. Paulo, vamos descobrindo e aprendendo a viver a nossa.

Como ele façamo-nos ‘discípulos’ e ‘enviados’ de Jesus; e S. Paulo é nosso mestre e modelo.

O Senhor Jesus é o seu tudo, o seu tesouro, a sua pérola, o seu encanto. Ele pede aos cristãos: “sede meus imitadores, como eu sou de Cristo”; e vive a ânsia de fazer apóstolos e discípulos do Senhor.

Este ‘Ano Paulino’ é um desafio a seguir S. Paulo, em primeiro lugar, na conversão e, por consequência, a colocar Cristo Jesus no centro da nossa vida. Por isso este tempo será uma grande oportunidade para dialogar com S. Paulo. Se na sua carta aos Gálatas descreve a sua vocação, nas outras mostra-nos o caminho a seguir.

Precisamos de construir comunidades que vivam da Palavra e dos sacramentos, que pratiquem a caridade, que cuidem dos mais pobres e marginalizados, que se sintam impulsionados a anunciar o Evangelho.

Precisamos de viver um Cristianismo mais conhecedor da Bíblia, mais orante e mais missionário.

P. Batalha

Solenidade de S. Pedro e S. Paulo – 29.Junho

Junho 27, 2008 Deixe um comentário

A Liturgia do próximo Domingo celebra a festa solene de dois apóstolos, que tiveram uma presença marcante na Igreja primitiva: São Pedro e São Paulo.

PEDRO, DISCÍPULO de Jesus, escolhido por Ele como o primeiro Papa e PAULO, o primeiro MISSIONÁRIO, que levou a Igreja ao mundo.

Os dois personificaram a identidade da Igreja, como discípulo e missionário. A celebração do próximo Domingo é muito antiga, anterior até a própria festa do Natal.

Comentário ao Evangelho do dia feito por São Máximo de Turim – «Dar-te-ei as chaves do Reino do Céu»

Commentary of the day by Saint Maximus of Turin – “I will give you the keys to the kingdom of heaven

Holy Gospel of Jesus Christ according to Saint Matthew 16,13-19
When Jesus went into the region of Caesarea Philippi he asked his disciples, “Who do people say that the Son of Man is?” They replied, “Some say John the Baptist, others Elijah, still others Jeremiah or one of the prophets.” He said to them, “But who do you say that I am?” Simon Peter said in reply, “You are the Messiah, the Son of the living God.” Jesus said to him in reply, “Blessed are you, Simon son of Jonah. For flesh and blood has not revealed this to you, but my heavenly Father. And so I say to you, you are Peter, and upon this rock I will build my church, and the gates of the netherworld shall not prevail against it. I will give you the keys to the kingdom of heaven. Whatever you bind on earth shall be bound in heaven; and whatever you loose on earth shall be loosed in heaven.”

A História do Vaticano – [en]

Pelos seus frutos, os conhecereis

Junho 25, 2008 Deixe um comentário

Quarta-feira da 12ª Semana do Tempo Comum

Wednesday of the Twelfth week in Ordinary Time

Toda a pessoa é o que faz e não o que pretende ser. Ou não?

…………………………………………………….

Evangelho segundo S. Mateus 7,15-20

«Acautelai-vos dos falsos profetas, que se vos apresentam disfarçados de ovelhas, mas por dentro são lobos vorazes. Pelos seus frutos, os conhecereis. Porventura podem colher-se uvas dos espinheiros ou figos dos abrolhos? Toda a árvore boa dá bons frutos e toda a árvore má dá maus frutos. A árvore boa não pode dar maus frutos nem a árvore má, dar bons frutos. Toda a árvore que não dá bons frutos é cortada e lançada ao fogo. Pelos frutos, pois, os conhecereis.»

…………………………………………………….

Comentário ao Evangelho do dia feito por Jean Tauler – Dar bons frutos

Commentary of the day by John Tauler – Bearing good fruit

…………………………………………………….

Holy Gospel of Jesus Christ according to Saint Matthew 7,15-20

Beware of false prophets, who come to you in sheep’s clothing, but underneath are ravenous wolves. By their fruits you will know them. Do people pick grapes from thornbushes, or figs from thistles? Just so, every good tree bears good fruit, and a rotten tree bears bad fruit. A good tree cannot bear bad fruit, nor can a rotten tree bear good fruit. Every tree that does not bear good fruit will be cut down and thrown into the fire.
So by their fruits you will know them.

Porque nós somos católicos, BEM-VINDO(A) à CASA que também é tua!

Junho 20, 2008 Deixe um comentário

Eu também quero ser cristão

Junho 20, 2008 Deixe um comentário

Reunir tesouros para o Céu

Junho 20, 2008 Deixe um comentário

Sexta-feira da 11ª Semana do Tempo Comum

Friday of the Eleventh week in Ordinary Time

Os tesouros dos cristãos estão em viver os valores do Evangelho: partilhar, servir, estar abertos aos outros, ajudarmo-nos mutuamente a fazer caminho com esperança e receber tudo como um DOM que Deus nos faz.

Evangelho segundo S. Mateus 6,19-23
«Não acumuleis tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem os corroem e os ladrões arrombam os muros, a fim de os roubar. Acumulai tesouros no Céu, onde a traça e a ferrugem não corroem e onde os ladrões não arrombam nem furtam. Pois, onde estiver o teu tesouro, aí estará também o teu coração. A lâmpada do corpo são os olhos; se os teus olhos estiverem sãos, todo o teu corpo andará iluminado. Se, porém, os teus olhos estiverem doentes, todo o teu corpo andará em trevas. Portanto, se a luz que há em ti são trevas, quão grandes serão essas trevas!

……………………………………………………………………..

Comentário ao Evangelho do dia feito por S. Vicente de Paulo – «Onde está o teu tesouro, aí está o teu coração»

Commentary of the day by Saint Vincent de Paul – “Where your treasure is, there also will your heart be

……………………………………………………………………..

Holy Gospel of Jesus Christ according to Saint Matthew 6,19-23
Do not store up for yourselves treasures on earth, where moth and decay destroy, and thieves break in and steal. But store up treasures in heaven, where neither moth nor decay destroys, nor thieves break in and steal. For where your treasure is, there also will your heart be. The lamp of the body is the eye. If your eye is sound, your whole body will be filled with light; but if your eye is bad, your whole body will be in darkness. And if the light in you is darkness, how great will the darkness be.

12º Domingo do Tempo Comum – Ano A – 22/Junho/2008

Junho 19, 2008 1 comentário

A liturgia do 22º Domingo do Tempo Comum propõe-nos uma reflexão sobre a “Lei”. Deus quer a realização e a vida plena para o homem e, nesse sentido, propõe-lhe a sua “Lei”. A “Lei” de Deus indica ao homem o caminho a seguir. Contudo, esse caminho não se esgota num mero cumprimento de ritos ou de práticas vazias de significado, mas num processo de conversão que leve o homem a comprometer-se cada vez mais com o amor a Deus e aos irmãos.

No próximo Domingo, o ofertório é para a Cadeira de S. Pedro.

Imitação de Cristo, tratado espiritual do séc. XV – II, cap. 1 – «Não os temais, portanto, pois não há nada encoberto que não venha a ser conhecido“. LER + >>

Pai Nosso

Junho 19, 2008 Deixe um comentário

Quinta-feira da 11ª Semana do tempo Comum

Thursday of the Eleventh week in Ordinary Time

A oração não se baseia em muitas palavras, mas na confiança interior. Deus já sabe o que necessitamos, por isso, quando “falamos” com Ele sentimo-nos nas suas mãos. A riqueza do Pai Nosso não está nas palavras, mas na união com o Pai, sabendo-nos irmãos.

……………………………………………………………

Evangelho segundo S. Mateus 6, 7-15

Nas vossas orações, não sejais como os gentios, que usam de vãs repetições, porque pensam que, por muito falarem, serão atendidos. Não façais como eles, porque o vosso Pai celeste sabe do que necessitais antes de vós lho pedirdes.» «Rezai, pois, assim:’Pai nosso, que estás no Céu, santificado seja o teu nome, venha o teu Reino; faça-se a tua vontade, como no Céu, assim também na terra. Dá-nos hoje o nosso pão de cada dia; perdoa as nossas ofensas, como nós perdoámos a quem nos tem ofendido; e não nos deixes cair em tentação, mas livra-nos do Mal.’ Porque, se perdoardes aos homens as suas ofensas, também o vosso Pai celeste vos perdoará a vós. Se, porém, não perdoardes aos homens as suas ofensas, também o vosso Pai vos não perdoará as vossas.»

……………………………………………………………

Comentário ao Evangelho do dia feito por Santa Teresa de Ávila – «Seja feita a tua vontade»

Commentary of the day by Saint Teresa of Avila – «Your will be done»

……………………………………………………………

Holy Gospel of Jesus Christ according to Saint Matthew 6, 7-15

In praying, do not babble like the pagans, who think that they will be heard because of their many words. Do not be like them. Your Father knows what you need before you ask him. This is how you are to pray: Our Father in heaven, hallowed be your name, your kingdom come, your will be done, on earth as in heaven. Give us today our daily bread; and forgive us our debts, as we forgive our debtors; and do not subject us to the final test, but deliver us from the evil one. If you forgive others their transgressions, your heavenly Father will forgive you. But if you do not forgive others, neither will your Father forgive your transgressions.